Grupo de Escoteiros Nelson Lobo

 

COMO NASCEU O G.E. NELSON LOBO da CASA DO CRISTO

Tudo começou em 1981 quando o jovem Cleber Ribeiro com 11 anos participou do Grupo Escoteiro Olivetano, na Vila Matilde em São Paulo, capital.
Muitos anos se passaram anos sem o contato com o movimento escoteiro.
Em 2005, já casado pai de três filhos, passou em frente de um grupo escoteiro no bairro de Arthur Alvim e inscreveu seu filho Derek de apenas seis anos e meio, logo em seguida sua filha de nove anos.
Conhecendo a Casa do Cristo durante o período que estava com seus filhos em outro grupo escoteiro, ele teve uma ideia de criar um grupo na Casa, já que o local possui espaços adequados para treinamentos.
Através de contato com dirigentes da Casa, informou sobre o movimento e o que ele traria de benefício para a juventude que estaria por vir.
Por se tratar de educação não formal e de transformação moral, a ideia foi aceita.
Em 14 de Julho de 2012, foi decidida em Assembleia na Casa, a inclusão do grupo escoteiro.
Feito isso, foi criado o logo da Casa. Onde está relacionado o índio (representando as crianças) A Pedra (representando Itaquera) e o Lobo (representando o Fundador da Casa do Cristo).

Este grupo é destinado a crianças/adolescentes (meninas e meninos) com idade de 7 a 14 anos.
Informações aos sábados das 08hs as 12hs na Casa do Cristo, Rua Agrimensor Sugaya, 986, Itaquera, São Paulo, no espaço do Grupo de Escoteiros Nelson Lobo

HISTÓRIA DO ESCOTISMO NO MUNDO

Em 22 de Fevereiro de 1857 nasceu, em Londres, capital da Inglaterra o menino Robert Stephenson Smith Baden-Powell, que mais tarde seria famoso no mundo inteiro, como fundador do Escotismo.
Sendo o mais novo dos irmãos, o menino Robert teve, na companhia dos irmãos mais velhos, uma infância muito divertida, pois Londres daquele tempo era muito diferente da grande cidade que é hoje, ainda oferecia muita facilidade para folguedos ao ar livre. Assim, desde menino, Baden-Powell aprendeu, em caminhadas e excursões, a cuidar de si mesmo e ter confiança em si. Embora órfão de pai, sempre encontrou na mãe e em seus irmãos o apoio necessário e mais tarde lembrava-se da infância, como um tempo muito feliz.
B-P. fez seus estudos em escolas públicas, onde era muito popular e querido por todos, colegas e professores. Nas férias, ele sempre aproveitava para acampar com seus irmãos mais velhos.
Quando terminou os estudos secundários, Baden-Powell ingressou no exército.
Como oficial de carreira viajou muito, conhecendo grande parte do mundo. Durante suas viagens conheceu tribos de guerreiros da África, os vaqueiros americanos e conviveu com os índios da América e do Canadá.
Graças a sua competência, honestidade e exemplo como líder de homens, B-P. fez carreira militar brilhante. Podemos citar principalmente a Guerra do Transvaal em 1889, onde B-P, comandou a guarnição de Mafeking, importante entroncamento ferroviário, cuja posse era de grande valor estratégico. A cidade foi duramente atacada pelas forças inimigas, durante meses.
Como havia poucos soldados regulares em Mafeking, B-P. treinou os cidadãos capazes de empunhar uma arma e para isso teve que organizar um grupo de jovens cadetes, os adolescentes da cidade que desempenhavam todas as tarefas de apoio, tais como: cozinha, comunicações, primeiros socorros, etc. Graças a esses recursos, à inteligência e coragem de seu comandante foi possível a cidade resistir às forças muito superiores, até que chegassem reforços. A maneira como os jovens desempenharam suas tarefas, seus exemplos, de dedicação, lealdade, coragem e responsabilidade, causaram grande impressão em Baden Powell e anos mais tarde, aquele acontecimento teria grande influência na criação do Escotismo.
Graças aos seus feitos na vida militar, B-P. tornou-se herói em seu país, a Inglaterra. Durante uma viagem à sua pátria, Baden Powell viu alguns meninos usando em suas brincadeiras um livro, que ele havia escrito para exploradores do exército e que continha ensinamentos sobre como acampar e sobreviver em regiões selvagens. Conversando com os amigos ele resolveu realizar, em 1907, na ilha de Brownsea, um acampamento com vinte rapazes de 12 a 16 anos, onde ensinou uma porção de coisas importantes, como: primeiros socorros, observação, técnicas de segurança para a vida na cidade e na floresta...
Devido aos bons resultados deste acampamento, B-P. começou a escrever o livro "Escotismo para rapazes" que, inicialmente, foi publicado em fascículos e vendido nas bancas de jornal.
Os jovens ingleses se entusiasmaram tanto com o livro, que B-P. organizou e fundou o Movimento Escoteiro.
Rapidamente o Escotismo se espalhou por vários países no mundo. No Brasil o Escotismo foi fundado em 1910 na cidade do Rio de Janeiro, sendo chamado de "Centro de Boys Scouts do Brasil", organizados por suboficiais dos encouraçados "Minas Gerais", "São Paulo" e "Bahia" que, na Inglaterra, haviam estado na em contato com o Movimento Escoteiro recém criado por Baden-Powell.
O Escotismo, nascido na Inglaterra, não respeitou fronteiras e alastrou-se por outros países, e já em 1920, em Londres, reuniram-se, num grande acampamento, Escoteiros de várias nacionalidades. Desde então o crescimento do escotismo foi grande e nem as duas guerras mundiais conseguiram enfraquecê-lo. Foi neste primeiro acampamento mundial, chamado de Jamboree, que 20.000 jovens aclamaram B-P., Escoteiro-Chefe Mundial.
Depois de vários anos de dedicação ao escotismo, viajando pelo mundo e fundando Associações Escoteiras em vários países, B-P. sentiu suas forças declinarem.
Retirou-se então para uma propriedade que possuía próximo à cidade de Nairobi, Quênia, na África. Ali, na companhia da esposa, dividia o tempo entre a pintura, a numerosa correspondência a as visitas de amigos. Faleceu na madrugada de 8 de Janeiro de 1941, enquanto dormia.